Home / Destaque / Kannemann do Alegrete , o guri de três meses que virou celebridade na cidade
Joy Buteco

Kannemann do Alegrete , o guri de três meses que virou celebridade na cidade

Um bebê de dois meses virou celebridade em Alegrete. Ele nem havia saído do hospital Santa Casa e sua certidão de nascimento já circulava por grupos de WhatsApp.

Um bebê de dois meses virou celebridade em Alegrete.

Ele nem havia saído do hospital Santa Casa e sua certidão de nascimento já circulava por grupos de WhatsApp. Poderia ser uma fake news, dessas que se espalham via redes sociais. Mas a história é verdadeira. Foi registrada em cartório.  O primeiro Kannemann gaúcho nasceu em 16 de fevereiro deste ano.

Marília Castro dos Santos, 22 anos, fazia a ecografia quando recebeu o que interpretou como um sinal. O exame, dias antes da final da Libertadores, em novembro de 2017, entre Grêmio e Lanús, mostrou com clareza dois dedinhos do bebê que nasceria no ano seguinte.

– O Grêmio vai fazer ou levar dois, mãe? – perguntou a médica.

– Vai fazer e será campeão – garantiu Marília.

Ali, a dúvida que pairava sobre o nome do filho foi resolvida, conta Marília. O Grêmio levantou a taça da América – com dois gols, marcados por Fernandinho e Luan. Otávio, o nome escolhido até então, acabou preterido pelo sobrenome de um dos paredões da defesa gremista. O pai, o colorado Luiz Maicon Batista Leal, 29 anos, havia deixado a missão nas mãos da mulher. Só restou aceitar a decisão dela.

Mas surgiu uma questão: como adoçar, com um apelido, alguém batizado como o nome de um xerifão viril, cuja determinação em campo lhe valeu, na Argentina, o apelido de Viking? “Kanninho”? “Kanne”? Todos soavam estranho para um bebê. A mãe decretou.

Resolvi que é Kannemann e ponto. Não tem apelido.

Nem todo mundo na família, porém, já se adaptou com o nome de origem alemã do guri. Vem da avó, colorada como o genro, a maior dificuldade na pronúncia. Parceira da filha nos cuidados do pequeno, Sandra Mara dos Santos Castro, 46 anos, trava uma batalha diária cada vez que chama o neto:

– Sai “Kânemo” todas as vezes. Mas não é difícil. Ela vai aprender – diz Marília.

O Kannemann bebê ainda não conheceu o zagueiro Walter Kannemann. Mas, quando aprender a escrever, Kannemann dos Santos Leal saberá que a livre inspiração do seu nome veio de um jogador que precisou ignorar as desconfianças quando desembarcou em Porto Alegre e se tornou um dos símbolos.

Fonte :  Site Mn

 

Web Noticias Alegrete . com

Sobre Pedro Mello

Veja Também

Linhas de ônibus de Alegrete sofrerá alterações devido a paralisações dos caminhoneiros

Devido a paralisação de caminhoneiros  o transporte coletivo de Alegrete sofrerá algumas mudanças na rotina ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *