Educação

Professor em Alegrete é acusado de agredir menino de 06 anos

Publicado dia 26/09/2019 às 15h31min | Atualizado dia 26/09/2019 às 20h40min
Segundo a mãe do aluno ele teria perfurações no braço devido a uma tachinha

segundo o relato da mãe , o menino que tem déficiti de atenção, teve seu braço perfurado por uma "tachinha" que no momento ele bincava com um colega , além do mais era chamado de mendigo por ter o cabelo grande , sendo também motivo de piada e agressão   pelos colegas devido aos comentários da professora.

Segue o relato da mâe que já disse que recorreu até mesmo ao Conselho Tutelar da cidade:

Ocorreu um fato nesta semana na escola do meu filho Otávio de 6 anos, ele chegou em casa e reclamou que foi agredito em sala de aula pela professora. Meu filho ainda em choque com o ocorrido, relatou que estava brincando em sala de aula com o coleguinha com um objeto que seria uma "tachinha", esse coleguinha dando o inicio a brincadeira fez cossegas com o objeto em meu filho. Otávio por sua vez fez o mesmo com o coleguinha, dando continuidade à brincadeira. Meu filho reclamou 

 que a professora ao ver a brincadeira o puxou pela orelha, e retirou o objeto de suas mãos e assim o segurando pelo braço fincou por várias vezes em seu braço repetindo a seguinte frase; " tu quer furar?! Tu quer furar?".
Eu estou chocada.
No começo do ano a professora me chamou e relatou que o Otávio não estava prestando atenção na aula e que ele tinha deficit de atenção, fui atras do unico especialista na cidade, um neuropediatra, mas não consegui consulta com ele. Então, meu filho sempre chegava reclamando que a professora brigava com ele na sala pq ele não conseguia copiar tudo oque ela colocava no quadro, até pq criança com deficit tem muita dificuldade pra fazer atividades, e essa professora não estava sabendo lidar com ele, ela reclamava dele na frente dos coleguinhas dizendo que ele era lento, e que atrapalhava a aula porque ele estava sempre chamando ela. E ele tbm relatou que ela chama ele de mendigo por ele usar o cabelo comprido. Com isso acontecendo na sala de aula os coleguinhas dele começaram a tratar ele mal e eu tinha que estar sempre indo na escola pra reclamar que os colegas batia nele e jogavam os materias dele no lixo. Com tudo isso que vem acontecendo com meu filho oque mais doi é ver ele dizer... Mãe eu sei que eu não sou normal, eu queria ser normal que nem os outros. E isso me dói pq sei o quanto meu filho é amoroso, carinhoso e se da bem com as outras crianças.
Fui atras da direção da escola e pra traduzir pra vcs, ELES NÃO VÃO FAZER NADA, não tem como trocar de turma e nem de professora.
Entrei em contato com o conselho e no momento estou aguardando uma solução, pq meu filho esta perdendo aula.
Ai está as fotos de como ficou o bracinho dele.
 

 

Fonte: Web Noticias Alegrete


Fale Conosco

Av. seu Endereço Alegrete-Rs
(55) 99217-4388 | (55) 99217-4388 | (55) 99217-4388
romariohorti@hotmail.com